segunda-feira, 16 de julho de 2012

_colore a minha vida com o caos do problema

Foi a madrugada mais fria do ano
e eu nem percebi,
por que eu estava ali
naquela cama com você.
Recebendo um abraço tão quente
que me queimou a cabeça
e trocou minha certeza
por uma dúvida clichê.
Quem disse que quero uma paixão
que chegue a perfeição?

Não existe uma reciproca verdadeira
já que cada um ama da sua maneira.
E mesmo se existir um outro alguém,
que te detém, e de mim te detém
que te machuca e me incomoda também.
De que me importa
essa ligação por tabela
eu já abri a minha porta, para você
que enche de possibilidades minha janela.
Jogue fora essa sua tramela
e continue me fazendo feliz,
por que quando eu estou com você
vejo a felicidade na ponta do nariz.

Sinto uma euforia calma em cada beijo
traduzido em um "para sempre" efêmero
com gosto sentido pela mão,
um forte tempero
de 'desconfortar' o coração.
Transforma o meu corpo
em um mundo a ser conhecido
louco para ser transbordado
e enlouquecido com olho admirado,
não cabendo em mim mesmo,
olhando a esmo
para a eternidade dentro de mim.

Moço, que me provoca o gozo
Me deixa tonto, mas já pronto
para outro regalo sem intervalo de você.
Te engarrafo e bebo no gargalo
com tanta vontade de me meter.
Depois te tanto amasso
me acabo no seu abraço
que eu demoro a esquecer.

Não quero pensar no que vai vir
Quero você agora
e pela aurora adiante.
Doravante, sem medo de irmos embora
te cuidando por todo o anoitecer
Num desesperado e calmo afã
Como se tudo fosse terminar
amanhã de manhã.

5 comentários:

Isis disse...

Lindo! Ah, se pudéssemos engarrafar momentos... mas aí momentos já não seriam...

C. Junior disse...

Isis, sua linda!

E assisti uma peça de teatro chamada VERMELHo, do Antonio Fagundes. nela, o pintor Rohtko afirma que tudo que vale a pena, precisa terminar, pois nasceu, amadureceu e terminou de forma feliz, com um gosto eterno de quero mais. Só assim entendemos sua totalidade visceral e paixão.

É quando amamos nossas expectativas de 24 horas, que transformamo-nos m uma corola de sorrisos. :D

Paulo Eduardo Sousa disse...

Uau! Lindos versos... A inspiração para a construção dos mesmos deve valer muito a pena. rsrs

Concordo com a citação acima, mas, muitas vezes, somos egoístas em demasia para perceber a finitude das coisas, querendo sempre prolongar algo que já não é o que fora outrora.

Jonathan Pereira disse...

Olá Junior. Viemos lhe entregar o selo 'Versatile' ao blog. Nos visite e entenda a dinâmica do selo. Parabéns pelo conteúdo! http://oteatrodavida.blogspot.com.br Abraços, Jonathan Pereira

Bússola do Terror disse...

Grande!
Mas a parte que diz ´´cada um ama da sua maneira`` acaba nos chamando mais a atenção, por ser uma coisa que tem que ser lembrada sempre.